Campanha Continuamos à Espera!

Continuamos à Espera é uma campanha de Educação para o Desenvolvimento e para a Cidadania Global, centrada nas temáticas da Saúde Sexual e Reprodutiva, Justiça Social, Igualdade de Género e Oportunidades e baseada nos Direitos Humanos. Uma campanha sensibilização e acção que parte de uma chamada de atenção para as situações de profunda discriminação e desigualdade que continuam a existir em qualquer parte do mundo e face às quais não podemos ficar indiferentes nem a aguardar que os tempos e a mudança de mentalidade resolvam.

Continuar a ler

Taxa sobre as Transacções Financeiras

Uma taxa que ajude a lutar contra a pobreza no mundo… sim, por favor! Esteja onde estiver, a sua voz e o seu clique podem fazer com que a Taxa sobre as Transacções Financeiras se torne uma realidade. A criação e aplicação de uma Taxa sobre as Transacções Financeiras (TTF) vêm sendo discutidas há vários anos a nível internacional, não só no âmbito da UE como também da ONU e do G20. A ideia é criar uma taxa sobre as transações financeiras à escala global que contribua para ajudar os países mais afetados pela instabilidade financeira.

Continuar a ler

Juntos pela Igualdade: ninguém fica para trás!

Durante um mês, entre 15 de Setembro a 20 de Outubro, Dia Internacional da Democracia e Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza respectivamente, o Global Call to Action against Poverty (GCAP) convida cidadãos de todo o mundo a unirem-se para exigir mudanças. Mudanças reais, mudanças transformadoras que o mundo necessita urgentemente.

Continuar a ler

Campanha My World – Pesquisa Global das Nações Unidas por um Mundo Melhor

No âmbito da preparação do quadro de desenvolvimento pós-2015, as Nações Unidas lançaram a Campanha My World, uma pesquisa online global a todos os cidadãos com o objetivo de saber a opinião das pessoas, as suas prioridades e pontos de vista, para que os líderes globais ouçam as suas vozes quando iniciarem o processo de definição da nova agenda de desenvolvimento global para acabar com a pobreza.

Continuar a ler

Campanha “Right to Water”: Água e saneamento são direitos humanos!

As Nações Unidas já reconheceram o direito universal à água e ao saneamento como fatores fundamentais para a concretização de todos os direitos humanos. Agora é a vez da União Europeia garantir esse direito a todos os seus cidadãos e promover esse direito fazer em outras partes do mundo. A campanha “Right to Water” será a primeira Iniciativa de Cidadãos Europeus (ICE) 1. A Oikos aderiu na primeira hora a esta iniciativa, pois medidas como estas garantem o desenvolvimento sustentável e o respeito pelos interesses e direitos das gerações futuras, como defendemos, por exemplo, na nossa campanha “Right to the Future”.

Continuar a ler

Petição contra a adesão da Guiné Equatorial à CPLP

Um movimento cívico agrupando Organizações Não Governamentais de vários países lusófonos, do qual a Oikos também faz parte, lançou esta segunda-feira uma campanha (www.movimentocplp.org) contra a adesão da Guiné Equatorial à Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). O país, uma das mais brutais ditaduras africanas, pretende ser aceite como membro de pleno direito na cimeira da CPLP marcada para 20 de julho, em Maputo, Moçambique.

Continuar a ler

Right to the Future

A Campanha Right to the Future esteve aberta para recolha de assinaturas entre 20 de Fevereiro e a realização da Conferência do Rio (Rio+20), a 22 de Junho. Realizada em conjunto com a Terre des Hommes e a The World Future Council, a petição propunha a criação de um provedor de Justiça que desse voz aos interesses e direitos das gerações futuras. Visava que a Conferência do Rio (Rio + 20) não constituísse mais um momento de promessas de responsabilidades por mais 20 anos. “Queremos que dela resulte o compromisso sério dos líderes do mundo em criarem à escala internacional, regional e nacional a figura do Provedor de Justiça que defenda os direitos e interesses das gerações futuras. Queremos o reconhecimento das Gerações Futuras como Sujeitos de Direitos e, como tal, consagração do direito ao futuro como direito humano. Dê a sua voz por aqueles que a não  têm para defender uma vida em dignidade e um planeta saudável e com recursos, para nós, os nossos filhos e netos e para as gerações vindouras.”

Continuar a ler

Campanha Melhor Ajuda para o Mundo que queremos

Cerca de 130 mil milhões de dólares são gastos todos os anos na erradicação da pobreza.

A crise financeira global que actualmente se vive, a galopante alteração climática, as crises alimentares que afectam violentamente sobretudo os mais pobres, tornam ainda mais necessário que esta ajuda prestada tenha resultados positivos.

Continuar a ler

Campanha Global por maior Transparência da Ajuda

Como cidadãos, temos o direito de saber como o dinheiro da Ajuda Púbica ao Desenvolvimento está a ser gasto. Assim, convidamos a que assine a petição mundial que apela que os governos tenham maior transparência na Ajuda Pública.

A Ajuda Pública ao Desenvolvimento faz de facto a diferença. Ela pode salvar vidas, colocar crianças nas escolas e reduzir a pobreza e o sofrimento de muitas pessoas. Mas, no momento, não se sabe exactamente “quanto” dinheiro está a ser gasto, “onde” e “em quê”. Em muitos casos, nem mesmo os países que recebem Ajuda têm uma visão real de onde o dinheiro está a ser aplicado. Esta realidade acaba por reduzir o potencial e efectividade da Ajuda. Com mais informações, cidadãos dos países doadores e receptores poderiam saber exactamente se o dinheiro fruto da Ajuda está a ter o melhor impacto possível.

Continuar a ler

Screen shot 2012-02-21 at 10.19.00 AM

Campanha Pobreza Zero

A Pobreza Zero é uma Campanha de Mobilização nacional coordenada pela Oikos desde 2005. Surge da necessidade de despertar Portugal para a situação internacional de pobreza extrema, bem como a falta de cuidados básicos de saúde e a impossibilidade de acesso ao ensino primário para a maioria da população mundial.

 

A solução possível para esta conjuntura passa pela realização dos 8 Objectivos do Milénio e, concretamente para Portugal, pela concretização da promessa de Ajuda Pública ao Desenvolvimento com 0,7% do RNB até 2015.

Continuar a ler